sexta-feira, 10 de julho de 2009

Face.

Desde de garota sempre quis tocar que nem Renato Russo. Mas descobri que ele não tocava tanto assim, suas letras nutriam minhas ansiedades, meus destemperos, meus amores...como se eu lesse meu diário em voz alta. Sim desde garota... eu quis ser jornalista e entrevistar as pessoas. Acabei professora. Quando vou à livraria, o livreiro me diz que vende meus sonhos. Meus sonhos...eu trabalho com lendas...livros são minha maior vaidade. Eu me apego a eles, eu choro com eles e dou risada. Acho todo enredo bem mais interessante do que minha vida.
Não. A minha intenção é... não foi essa. Eu quis sim comprar o sapato da moda, algumas bijus pra me enfeitar. E a economia, a terça parte dela é dos livros. E está todo mundo ocupado, inclusive eu, que não possa ler essas "tonterías". Outra coisa que me esqueci de dizer...eu já lecionei espanhol e eu adorava. E por que não adoro mais? Eu descobri que meu paladar muda e me conflita. Outra coisa também me disseram depois de eu ter me tornado professora. Me disseram que eu não sei escrever. Pode ser. Tem dias que eu acordo e nem quero escrever mas tenho que fazê-lo. Talvez nesses dias que eu acordo sem tesão nenhum pra coisa, eu realmente deva decepcionar. Decepcionar os mestres, os alunos, os poetas e toda patota que me lê. Ora por piedade, ora pra me entender eles estão me lendo.
A cidade respira, as pessoas transitam... e pensar essas coisas passa a ser bobagem de uma mente fértil. Eu sei. Tropeço com palavras. Quero entender quando não é necessário dizer. E o que eu digo é a mais pura verdade! Não estou nem um pouco afim de te impressionar. Quem me conhece sabe que talhar palavras na mármore úmida, me agrada. Expulsam os demônios que me atormentam. Por isso, meus caros, pouco importam as críticas e os enxovalhos que recebo de cara. A mesma face que recebe o tapa sentirá o beijo.
Falando em beijo, meus amantes até aqui também não foram grandes coisas pra mim. Penso que outros virão. E um ficará eterno. Já quis comemorar 15 anos com par, dia dos namorados com flores e também já chorei em festa de casamento sonhando com o meu. Já tomei meus porres e prometi sucessivas vezes que pararia de beber. Deve ser por isso que sou melancólica em fases que atravesso. Mas não pensem que não sou feliz. A felicidade renasce depois das longas caminhadas que deixaram calos nos pés. Digo, calo nos pés, porque tem dias que ando kilometros em busca de meu caminho.
Sou jovem demais ainda para cair no enfado das lições. Não era bem uma mensagem que eu queria deixar era apenas eu. Um pouco de eu. Porque o outro restante, está por vir...

7 comentários:

f@ disse...

E deixas um pouco sim... mto... neste texto magnífico...

depois das caminhadas e das feridas nos pés ... a pausa para continuar o caminho...

imenso beijinho

Godet disse...

"Não estou nem um pouco afim de te impressionar. Quem me conhece sabe que talhar palavras na mármore úmida, me agrada."

E a mim também!!!

"Porque o outro restante, está por vir..."

Tomará que seja em breve!!!
bjsss

Desengavetados disse...

Obrigada pela atenção de vcs com os meus textos. Sei que estou diante de gente muito talentosa, os comentários de vcs são valiosos sempre! Bjos!

Thiago Elloard disse...

A influência de Clarice nesse texto é perceptível. Abusando das antíteses que estão guardadas no interior da matéria. O sim, o não. O duelo entre espírito e corpo e a simplicidade na escrita que ressucita a Clarice aonde for que ela esteja.

Desengavetados disse...

Querido Thiago, pra mim é uma honra ser comparada com Clarice, pois é a autora mais genial que já conheci. E realmente, não dispenso de receber influências da mesma, estou sempre antenada com seus textos. Vai vê que é por isso a semelhança.
Grata pela atenção!
ANdréa.

Thiago Elloard disse...

Clarice realmente é genial.
Fico feliz em saber que está "antenada com meus textos". Obrigado pela atenção.

"inté"...

Godet disse...

Vc está sumida...E estou com saudades de ler seus textos.bjs