segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Versos teus, versos meus.


Crescer com a virtude de não ser
E ser a virtude do que permanece.
Lutar com armas limpas e claras
E forjar a luz de cada amanhecer.
Cantar musas em versos e prosas
Celebrar a confusão de prosódias
E a lucidez da loucura de cada dia. (Fabiano Silmes)

Sem decorar sextilhas e redondilhas
Andei sem rumos. Quebrei os pactos.
E se me compactuava as normas e as métricas,
dantes as pretendias
desde o verso inicial em parceria.
Mas não sou poeta que segui à risca
aquilo que regula meus princípios. Minha arte.
Sou poeta! Com armas limpas e claras.
Atiro meus versos com essa tinta que se esgota.
E a lucidez da loucura de cada dia se finda. (Andréa de Azevedo)

12 comentários:

Godet disse...

O ethos vai se construindo no discurso à medida que expressa suas ideias e suscita sensações de ser; dos dois . Tom de prosa, onde o encantamento maior é a própria construção...O encantamento frente a manifestação da própria arte confessada...

"Sou poeta! Com armas limpas e claras"
"E ser a virtude do que permanecer"

Boa dupla, quero mais.
bjssssssss

Gusto Vibe disse...

Não conheço a Andreia pessoalmente, mas o Fabino Silmes é um bom parceiro de leitura.

"Com o receio de novas dores
Confinei-me em meu lar
Tomei um pouco de chá
Para tentar esquecer de tudo que me fez chorar
Ofenderam meu lado mais íntimo
Mas como sempre nada de novo aconteceu
Meu coração de novo não bateu feliz.

Mentalizei um momento especial,
Lembrei-me do intenso amor
Que palpitava em meu coração que muitos roubaram
Resolvi tranca-lo as sete chaves
Para que ninguém mais possa rouba-lo e quebrar-lo
Já que pouco dele sobrou
Não quero perder esse pouco que restou!"

Luiz Augusto/Fabiano Silmes

..........Parabéns! Bela parceria.
Queremos mais!!!!!!

Paulo Rogério disse...

"Com armas limpas e claras."
"Atiro meus versos com essa tinta que se esgota." Muito digna a interação entre vocês, dois escritores bastante centrados em sua arte poética. Parece-me que os versos guardam essa honestidade do ser poeta (e um certo desalento também) que, com armas limpas e claras e, independentemente das métricas, transcende sempre ao politicamente correto.

f@ disse...

Parabéns Andréa e Fabiano... mto belo conjunto dois em um poema ... ou 2 poemas ou três...
mto belo...
o amanhecer claro das palavras com a luz na tinta...

!menso beijinho

disse...

Admirável o poema que junta o teu e o dele... sentir em comunhão...


Um beijo

petrucian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thiago Elloard disse...

Oi, vi que comentou no meu blog e em seguida eu respondi o seu comentário. Quando puder, de uma olhada na resposta.

inté...

petrucian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
petrucian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Desengavetados disse...

Oi, Thiago!Entendi o que quis dizer ao responder meu post lá no seu blog. Me identifico.
Não deixe de visitar meu blog, sua contribuição aqui é bastante proveitosa!
Abraços!

Desengavetados disse...

Petrucian, meu estilo é híbrido. Estou sempre aberta a todos os gêneros. Fique a vontade!

Retorne quando quiser inserir discussões literárias.
Até!

Thiago Elloard disse...

com certeza, estou sempre "antenado com seus textos"...
rsrs

inté...