quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010


Piegas.


Faça seu julgamento
Dê sua sentença
fique armado até os dentes
como sempre preferiu!
Ainda sim, a coragem
lhe falta para atirar
a primeira pedra.
A primeira pedra?
Não é aquela
que parou no meio
do caminho.
Com minha ajuda
soube remover
suas pedras
e aproveitar o caminho
que o conduzi.
Passaste pelo caminho,
já não há mais como voltar.
Ateou fogo com suas próprias mãos
jogando suas bingas de cigarro.
Fumaste todas cartelas possíveis,
mesmo sabendo
que aquele cheiro ia me incomodar.
Eu respirei o ar de suas camisas
empregnadas de perfume
para tapiar, respirei.
Pensei que a náusea
iria passar...
e o cheiro ainda me incomoda.
Segui o outro caminho
aquele de antes:
o breu das noites solitárias
o brejo, o coaxar dos sapos...
Respirei, o cheiro dos livros
guardados.
Permiti que as traças roessem
minhas pequenas lembranças.
Cenas de um filme
se passou.
Entre o farol e as buzinas
do carro
o olhar se perdeu.
17/02/2010 (início) 06/03/2010 (término).

5 comentários:

Abismo do Obscuro disse...

Amores não são eternos, mas evoluímos quando extraímos bastante experiência de cada vez que amamos alguém e certas coisas não tem volta.

Paulo Rogério disse...

Desconstruindo turvas lembranças... resolvendo o passado com dignidade... Os melhores capítulos são reservados para um amor verdadeiro, recíproco...
Um grande beijo, Andréa.

•••GusTØ VIBE••• disse...

Cheiro de livros guardados...
Traça que roem pequenas lembranças...

Discos que bailam pelo ar em uma só dança...
Há fogo contra fogo...
Num caminho que havia pedras soltas...
Minuciosamente ajudou-me a retirar...
E palavra armada não nos permite atirar...
Prefiro voltar...

O breu das noites solitárias
O brejo, o coaxar dos sapos...
E um amor recomeçará...

Lindo...
Estávamos com saudades dos poemas engavetados.
E que não só no dia oito de março, mas, sim todos os dias sejam repletos de alegrias, felicidades e amor.
Mulher é Amor!

Abraços•••

Obrigado pela visita e deixar suas VIßRAÇÕES!
é gratificante.

Abismo do Obscuro disse...

Comentei vários textos no Poesia Eternizada, incluindo textos seus.

Godet disse...

"A primeira pedra?
Não é aquela
que parou no meio
do caminho."
Tirá-las, esculpi-las, removê-las... Guardá-las.
bjs