quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Do tempo de Mamãe

Agulha de toca disco, álbum de foto papel, negativo. Banho de mangueira, balanço de árvore, trocar de bonecas, calçarem os sapatos, valsar aos 15 anos. Viagem de trem, passeio de fusca, biquíni de bolinha, bóia de pneu. Beber Coca-cola, juntar as tampinhas, guardar os cascos. Carnaval de pá João, Carnaval de palhacinho, acabou o confete, quarta-feira de cinzas.

2 comentários:

Lisa Stér Cöy disse...

Olá!
Como vai?
Obrigada pelo comentário lá no meu blog :D. Tbm adorei o seu.
Você é de SG né? Já foi na Taverna?
Caso queira conversar melhor, meu msn é: lelisa.gothic@hotmail.com .
O link do meu orkut ta la no blog.
Espero conmtato ^^

Bjs!!!!

fabiano Silmes disse...

Um poema meio triste este...me lembra algo vindo das profundezas da infância...mas que ele seja um pouco de cinzas a espera do nascer da nova Fenix.

Abraços.