domingo, 15 de fevereiro de 2009

Segredo

Digas em tom frêmito
soando uma nota só, um segredo.
Um segredo ao pé do ouvido
que revele o mais íntimo
sussurro cálido...

Adormece os meus sentidos,
arrasta esse rosto na minha pele...
Roça essa barba cerrada até o umbigo,
até que eu suspire e exale o seu cheiro.
Vês que sou escrava dos teus desejos.

Sinto contra o peito
o palpitar acelerado
que soa trêmulo em ti.

Réu confesso
guardas este segredo
velado em sua boca
e juras o amor que não sentes.
Pois em ti abrigas somente
um desejo que move.

Um comentário:

Godet disse...

Ao levar te assim tão simbolicamente em minha alma supero todas as asas, supero a concretude de mim...
Esse desejo que move é o que te faz escrever assim.
bjs